segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Castlevania Lament of Innocence


Olá!

Resolvi postar algo sobre um jogo que esta tomando algumas horas minhas nestas ultimas semanas.
Trata-se de Castlevania Lament of Innocence, que foi lançado há 8 anos atras na plataforma da Sony, PS2.
Sim, um jogo relativamente "antigo".
Conheci Castlevania, depois de Symphony of The Night, que joguei no PSOne numa versão "Traduzida".
Quem ja jogou esse game sabe do que estou falando. È uma obra prima, sem muitas palavras. Então, resolvi testar esta versão do PS2 - sem muitas esperanças.
Mas encontrei um jogo muito interessante. Mas, como ainda estou jogando, vou falar pouco, e apenas sobre o que encontrei até aqui.
Primeiramente encontrei um enredo clichê básico herdado das versões masi clássicas. Um Belmont indo pro Castelo do Drácula por algum motivo. Desta vez, guiamos com Lord Leon Belmont - não o chame de Lord que ele não gosta XD - um sujeito que no início não curti - mais pelo visual que pela personalidade.
A jogabilidade do game mostrou se concisa, mostrando que o forte da aventura seria o combate. Inicialmente você é apresentado a um cenário totalmente 3D.
Vindos ambientes 2D ricamente detalhados, o solo 3D para Castlevania seria perigoso, levando em conta que Beat,N Up's estavam em alta na época. Então, logo achei que veria mais um God of War ambientado num castelo, com trocentos Quick Time Events e sistema de estratégia pobre.
Mas não! No decorrer da jogatina, eu percebi a preocupação dos designers em preservar a ambientação fria e solitária de um castelo antigo e agourento - isso eu achei bacana. Muito do cenário me remeteu ao ambiente claustrofóbico 2D de coisas antigas, estranhas e poeirentas, e ainda refletiu o gigante espaço aberto, dando uma sensação de estar sendo vigiado o tempo todo. A interface do sistema de jogo também mostra sobriedade, nada de apitos infantis, cores fortes, ponteiros animadinhos e coisas do tipo. Tudo tenta mergulhar você em algo sério, sóbrio, antigo e que mereça atenção concreta.

Enquanto corri pelos corredores e atravessei salas com armadilhas e monstros, percebi uma trilha sonora muito bonita, clássica e que introduziu o visual bonito com muito bom gosto.

Abraçando a causa de Leon correndo atras de pistas para encontrar sua amada Sara Trantoul, você é levado a um novo sistema de exploração para conseguir o objetivo. Temos 5 bestas dentro do castelo que precisam ser derrotadas para que Leon vá ao encontro de Sara. Sendo assim, temos um saguão onde 5 áreas do Castelo estão disponíveis para serem exploradas na ordem que você desejar e conseguir liberar um selo que impede você de prosseguir até a área do castelo onde supostamente Sara se encontra.
Isto inovou muito a forma "linear" de exploração do castelo por onde você perambulava.
O combate ficou muito intuitivo, fazendo o retorno do Whip não ser tão mal visto pelos fans das espadas de Symphony of The Night. Os Combos bem elaborados, junto com Skills que são destravadas assim que você os executa comandos pertinentes para sua ativação, são bastante usados contra os monstros.
Falando um pouco deles, continuam bem criativos e com dificuldade personalizada.
Para os que ainda apreciam jogos de PS2 na geração dos games ultra-realista/violentos de hoje, uma aventura nas masmorras mais famosas da Transilvânia será muito bem vinda. Lament of Innocence é um bom jogo de aventura/exploração com ação e combate excelentes. Recomendo pra quem curte!

Fernando Augusto Pereira Web Developer

Como todo desenvolvedor de softwares, com pouco auto-estima, vejo nos videogames algo que a vida real não mostra. Jogador veterano de Monster Hunter, RPGista entusiasta, e meio barulhento quando o assunto é Fighting Games, um ser vivo que consegue desperdiçar seu valioso tempo da melhor forma possível. O que como? Onde durmo? Daonde tira tantas ideias idiotas? Hoje, no Globo Reporter!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...