sexta-feira, 13 de abril de 2012

Entrevista com Akira Yamaoka - Compositor de SIlent Hill


Bem pessoal, encontrei esta da reportagem na revista Nintendo Power. Foi traduzida por Death_Stalker do forum da Dark Silent Hill. Curto muito os jogos, e as músicas, claro, também. Espero que curtam. Abraços!

Maestro Louco Dois elementos críticos da potente atmosfera de Silent Hill sempre foram sua música assustadora e seus efeitos sonoros "diferentes". O homem responsável pelo som único da série é Akira Yamaoka, e ele estará contribuindo com seu talento no Shattered Memories. Nós tivemos a oportunidade de conversar com Yamaoka sobre como ele aborda seu trabalho, suas fontes de inspiração e o que o deixa acordado de noite.

Nintendo Power: A série Silent Hill sempre teve um som único. Como você chegou naquilo? Quais foram algumas das suas fontes de inspiração?
Akira Yamaoka: Eu sempre queria propor um novo estilo de música que não existia em nenhum lugar no mundo das músicas de jogos. Eu queria desconstruir a música dos jogos, ver o que restava, e criar algo diferente. A música para qualquer forma de entretenimento não deveria ser enquadrada em tipos, mas os criadores tendem a ficar neles mesmo assim. É porque é mais fácil assim. Baseando-se nas cenas [em Silent Hill, por exemplo], escolher um estilo de música como a música clássica e meio triste seria muito mais fácil. As músicas nos jogos era assim no passado. Ela normalmente começa com muitos bitsounds pequenos, e consequentemente muitos deles se assemelham e podem ser categorizados no gênero de "música de jogos." Além disso, com Silent Hill, eu queria fingir que o gênero não existe e recriar a música dos jogos. Eu pensei no que seria um estilo de música diferente e novo. Foi assim que a música de Silent Hill foi criada.

Você está tentando criar algo novo ou diferente para o Shattered Memories?
Eu ainda estou no processo de tentativa e erro. Já que estamos fazendo uma versão para o Wii pela primeira vez na série, eu gostaria de tentar algo diferente.

Como o cenário ou os personagens do jogo para o Wii vão influenciar nas suas composições para o jogo?
Os cenários e os personagens influenciam nas minhas composições. Os jogos da franquia vão bem fundo na psique das pessoas. Você pode não notar a diferença na música de primeira, mas conforme você continua a jogar e ouvir a música com mais atenção, você começa a sentir as diferenças. Eu queria que todos sentissem a profunda psique do som.

Como você entra no clima ou estado mental certo para escrever uma música para Silent Hill?
Eu não preciso entrar num "clima" antes de compor as múcias para Silent Hill. Eu só tento ficar calmo e pensar normalmente. Compor as músicas para essa série é muito especial para mim porque ela vem naturalmente, e eu não preciso de entrar num estado mental especial para compor. Para outros trabalhos, eu normalmente preciso de algum tipo de inspiração antes de começar a compor.

O que você acha que a música acrescenta à experiência de se jogar Silent Hill? O que você tenta conseguir com suas trilhas sonoras?
A música é essencial para todo tipo de entretenimento, não somente ao terror. Quando se assiste a algo, nós somos influenciados tanto pelo que vemos quanto pelo que oouvimos. A combinação de visão e audição é o que faz o entretenimento divertido, e eu queria perseguir isso com a franquia Silent Hill. O que você e ouve deve retratar a atmosfera que tentamos transmitir durante o gameplay, e é isso que eu busco conseguir. Eu quero que essa combinação de visão e audição dê ao usuário uma poderosa experiência emocinal. Além disso, eu não quero criar a música de Silent Hill somente com sons. Eu estudo cuidadosamente o visual do jogo quando estou compondo minhas músicas.

Qual é o segredo escondido na utilização da música ou dos sons para criar um elevado senso de medo?
Na verdade, há muitos segredos nisso. O primeiro e mais importante é a "irregularidade". As pessoas são criaturas semelhantes, mas ao mesmo tempo, elas gostam e se sentem confortáveis com o senso digital. Em nossa vida diária, nós acordamos de manhã, trabalhamos, comemos, e dormimos. Todos possuem uma rotina. Quando algo "irregular" como um acidente acontece, a rotina se quebra e o senso de ritmo começa a mudar. As pessoas vivem cada dia com expectativas do que vai acontecer em seguida. Quando as coisas não acontecem como elas esperam, ou quando o ritmo se quebra, nós começamos a ficar bem nervosos. Um dos terrores de Silent Hill, a "ansiedade", normalmente é criada por essa irregularidade. Por exemplo, o som que o jogador está escutando de repente muda, o barulho começa de repente, e o ritmo começa a ficar irregular. Normalmente eu quebro o ritmo regular e crio um som que os jogadores não esperam ouvir. Resumindo, eu traio a expectativa dos jogadores. Esse é um dos mais importantes meios de se criar os sons para Silent Hill.
Em alguns dos jogos anteriores da franquia, você esteve envolvido no game design. Por que você optou por não pegar um cargo criativo maior?
Há vários motivos pra isso. [risos] Eu penso em pegar um cargo criativo de novo um dia. Eu quero contribuir no lado criativo como um mestre do terror ou do terror japonês.

Qual jogo da série é seu favorito até o momento? E qual é o seu favorito em termos de música?
Meu favorito é o Silent Hill 2. Seu tema foi "Crime e Punição," e o sentimento foi completamente diferente dos outros jogos. Foi um título especial para mim porque foi único. Originalidade é muito importante para mim. Mesmo que seja só considerando a música, meu favorito é o Silent Hill 2. Eu gostei do primeiro Silent Hill, mas eu acho que estava mais livre para criar naquele outro. Eu sinto que fui completamente capaz de demonstrar minha criatividade e limitar meu foco no Silent Hill 2.

Como um todo, quais são suas influências musicais?
A música européia dos anos 80. Foi um movimento de quando eu estava no colegial. O New Wave e o punk rock estavam muito fortes naquele tempo. Eu amava o sentimento doce e simpático da música européia. Fui fortemente influenciado não só pela música, mas pela cultura e espetáculos daquela época. Tudo, inlcuindo a música e as imagens, me influenciaram. Se só a música tivesse me influenciado, eu não seria fapaz de fazer o estilo de música de Silent Hill. Eu provavelmente ficaria obcecado com os gêneros da música e estaria fazendo uma música bem chata. Eu achoq ue cada tipo de espetáculo devia ser estimulado não só por um sentido, mas por todos. Eu fui incluenciado pela cultura e espetáculos dos anos 80 na Europa porque foi exatamente assim.

Que músicas estão tocando no seu MP3 ultimamente?
Eu estou com meu iPod aqui comigo. Deixe-me ver. [risos] Parece que eu estive ouvindo The Rasmus, Museo Rosenbach, Mogwai, Last Laugh, Ignition Technician, HIM e Goldfrapp.

Qual é seu maior medo?
Nada. [risos] Eu não tenho medo de nada. Eu só sigo meu caminho não importa o que aconteça na minha vida. Ou talvez eu deveria dizer que sou muito ocupado para temer alguma coisa. Eu não estou dizendo isso só para parecer ser legal! [Risos]
Fernando Augusto Pereira Web Developer

Como todo desenvolvedor de softwares, com pouco auto-estima, vejo nos videogames algo que a vida real não mostra. Jogador veterano de Monster Hunter, RPGista entusiasta, e meio barulhento quando o assunto é Fighting Games, um ser vivo que consegue desperdiçar seu valioso tempo da melhor forma possível. O que como? Onde durmo? Daonde tira tantas ideias idiotas? Hoje, no Globo Reporter!

2 comentários:

  1. I Play This games from fist series until series homecoming, I love this Games...

    ResponderExcluir
  2. I've only played the first version, this remake and "Shattered Memories". But really enjoy the soundtrack entirely outside the conventional P = Yamaoka

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...